quinta, 20 de abril de 2017 - 12:55h
Polícia Civil prende suspeito de assassinar jovem em Santana
Tainá de Barros, 20 anos, foi encontrada morta no último sábado, 15, em um terreno baldio no Distrito Industrial.
Por:
Foto: Ney Pantaleão
O caso foi detalhado na manhã desta quinta-feira, 20, durante entrevista coletiva

Uma investigação minuciosa, comandada pelo delegado Sandro Torrinha, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Santana, elucidou em um curto espaço de tempo, o assassinato da jovem Tainá de Barros, 20 anos. Ela foi encontrada morta e, sem roupas, em um terreno baldio no Distrito Industrial, em frente ao comando do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), no município santanense. O corpo foi encontrado na tarde do último sábado, 15.

O caso foi detalhado na manhã desta quinta-feira, 20, durante entrevista coletiva concedida pelo delegado Sandro Torrinha, que preside o inquérito, a delegada-geral de Polícia Civil, Maria de Lourdes, e o titular da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Ericlaudio Alencar.

"Tivemos muita cautela nas investigações para não cometer erros no inquérito. Chegamos a ouvir o depoimento do namorado da vítima, uma vez que ela teria sido vista pela última vez no endereço dele. O rapaz contou que Tainá havia passado a noite anterior com ele. Mas, que, ela deixou o local entre 4h30 e 5h da manhã. O namorado, também, declarou ter entregado à garota o valor de R$ 15 que seria para pagar o táxi até à casa dela. Esse dinheiro não foi encontrado com a vítima. A partir disso, nós buscamos por câmeras na região que pudessem confirmar essa versão. Foi quando identificamos uma dessas câmeras, na qual, a jovem aparece chegando à Rodovia Duca Serra. Logo atrás, aparece o suspeito. Era o que precisávamos para descartar muitas dúvidas e seguir uma linha reta de investigação", esclareceu o delegado.

O homem que aparece no vídeo, seguindo Tainá de Barros, já foi identificado pela polícia. O suspeito é manco de uma das pernas, o que foi outro ponto observado pelo delegado nas imagens. "Todos os elementos colhidos no curso das investigações são concretos contra ele. Até mesmo a roupa que ele usava na noite do crime foi localizada. A puxada de perna também delatou o suspeito", sustentou Sandro Torrinha.

Com base em todas as provas colhidas no curso da investigação, o delegado representou pelo pedido de prisão preventiva do suspeito, o qual foi decretado pela Justiça do Amapá e cumprido na tarde de quarta-feira, 19. Ele foi preso, na casa dele, no bairro Piçarreira.

"Desde que recebemos essa informação, garantimos os meios necessários para que a Polícia Civil pudesse atuar para dar uma resposta à família da vítima e à própria sociedade, em razão da barbárie que foi esse crime. Como já disse o delegado presidente do inquérito, a condução dos trabalhos seguiu uma linha muito rigorosa para garantir que não houvesse falhas no inquérito e, que, o verdadeiro culpado fosse identificado", reforçou o secretário de Segurança Pública, Ericlaudio Alencar, que também é delegado da Polícia Civil.

Exames preliminares da Polícia Técnico-Científica (Politec), comprovaram que Tainá sofreu traumatismo craniano, o que a teria levado à morte. "Vamos aguardar o laudo pericial que apontará, em definitivo, a causa da morte e o laudo de conjunção carnal, que vai revelar se a vítima, também, foi abusada sexualmente, como se suspeita", declarou a delegada-geral Maria de Lourdes.

O suspeito que aparece no vídeo foi indiciado e ainda passaria por exame de corpo delito na Politec e seria encaminhado ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá